sábado, 3 de abril de 2010

com cinco letrinhas apenas e um atraso daqui à china

“O “editor”, compreendido como “aquele que trabalha com o autor na preparação da obra de ficção”, só entra na história muito mais tarde, nas primeiras décadas do século XX. Antes disso, apenas surgiram umas quantas referências ao conselho editorial: Erasmo a dar sugestões a Thomas More quanto à Utopia, Charles Dickens, enquanto éditos da Housesold Words, a aconselhar Wilkie Collins numa trama
Alberto Manguel, No Bosque do Espelho, Dom Quixote, 2009
(encontrado pelo zé eduardo na página 114)