sábado, 22 de maio de 2010

com cinco letrinhas apenas, senhor cliente (6)

[…] Diante dos teares, há raparigas acocoradas ou sentadas em tamboretes. Trabalham depressa, empurrando a lançadeira entre os fios da urdidura, pegando nas tesourinhas de aço, cortando as pontas, amontoando a lã na trama. A mais velha deve ter catorze anos, a mais nova não tem provavelmente oito anos. […]

J. M. G. Le Clézio, Deserto, Publicações Dom Quixote, 1986; pág. 125