terça-feira, 11 de maio de 2010

Em que momento desaparece o espanto do outro existir e começa o hábito de ele ser?



(uma pergunta encontrada neste clube)