sexta-feira, 14 de maio de 2010

Pauliana Valente Pimentel



Hoje passei na Galeria 3+1 e vi a exposição Trans-Caucásia da fotógrafa Pauliana Valente Pimentel. Gostei sobretudo dos quartos cheios de tecidos e de padrões - nas paredes, nas camas, nos sofás, por todo o lado. Pareciam pinturas e estavam cheias de vida - primeiro parecia-me que não, mas depois de olhar durante alguns minutos senti que eram espaços ocupados, reais. E depois pensei que a autora destas imagens deve gostar do céu, que fotografou duas vezes de duas formas diferentes (noite, dia, dois tipos de azul).
Mais estranho foi subir as escadas da galeria e entrar num espaço que me pareceu demasiado pessoal (um pequeno escritório) para que pudesse ver as três fotografias que lá estavam, num canto, por trás de uma mesa onde uma beata acabara de ser esmagada num cinzeiro. Estive, olhei, mas na verdade não vi. Aproveitei para espreitar as publicações que estavam disponíveis no balcão e, obrigada, adeus, boa tarde (...).