sexta-feira, 25 de junho de 2010

Ó Sr Xú, este fez-me lembrar o tal conto da Sra Dona Agustina



E, depois que o espírito começou a mover-se, separou-se de tudo o que era movido, e, à medida que o espírito se movia, tudo se ia separando. E à medida que as coisas se moviam e se separavam, a revolução fazia-as distanciar-se ainda mais.

E, se há pastes iguais, quantitativamente, do grande e do pequeno, deverá conter-se tudo em todas as coisas. Não pode haver nada de isolado, mas todas as coisas têm uma parte no todo. Como o mínimo não pode existir, não poderia dividir-se, nem formar-se por si, mas, tal como inicialmente, também agora tem de estar tudo junto. Em todas as coisas, porém, existem muitas, e, daquelas que se separam, existe igual quantidade nas maiores e nas menores.



- "Anaxágoras" - séc. V a.C. -