terça-feira, 29 de março de 2011

Some are born to sweet delight, some to the endless night


"Canto o teu corpo
passados estes tempos:

o prazer que me
acendes
o espasmo que semeias

A seara das pernas
o peito
os teus dentes

a língua que afago
e as ancas estreitas

Canto a tua
febre
fechada no meu ventre

Canto o teu
grito
e canto as tuas veias

Canto o teu gemido
teu hálito
teus dedos

Canto o teu corpo
amor que me encandeia"

- Maria Teresa Horta -