terça-feira, 17 de maio de 2011

só nós líamos Whitman

Quando soube ao fim do dia que o meu nome fora aplaudido no capitólio,
mesmo assim nessa noite não fui feliz,
E quando me embriaguei ou quando se realizaram os meus planos, nem
assim fui feliz,
Porém, no dia em que me levantei cedo, de perfeita saúde, repousado,
cantando e aspirando o ar fresco do Outono,
Quando, a oeste, vi a lua cheia empalidecer e perder-se na luz da manhã,
Quando, só, errei pela praia e nu mergulhei no mar e, rindo ao sentir as
águas frias, vi o sol subir,
E quando pensei que o meu querido amigo, meu amante, já vinha
a caminho, então fui feliz,
Então era mais leve o ar que respirava, melhor o que comia, e esse belo
dia acabou bem,
E o dia seguinte chegou com a mesma alegria e depois, no outro, ao
entardecer, veio o meu amigo,
E nessa noite, quando tudo estava em silêncio, ouvi as águas invadindo
lentamente a praia,
Ouvi o murmúrio das ondas e da areia como se quisessem felicitar-me,
Porque aquele a quem mais amo dormia a meu lado sob a mesma manta
na noite fresca,
Na quietude daquela lua de Outono o seu rosto inclinava-se para mim,
E o seu braço repousava levemente sobre o meu peito - nessa noite fui
feliz.