domingo, 12 de junho de 2011

Fraulein Zitrone, o que eu faço por ti

1 - Existe um livro que lerias e relerias várias vezes?
A releitura é para quem não faz nada da vida, pá. As pessoas têm pressa. Eu, por exemplo, estou a reler um livro neste preciso momento. E porquê? Porque não faço ponta.

2 - Existe algum livro que começaste a ler, paraste, recomeçaste, tentaste e tentaste e nunca conseguiste ler até ao fim?
Isto é o mesmo que perguntar: com que tipo andaste, paraste, recomeçaste, tentaste e tentaste e nunca conseguiste aguentar até ao fim?

3 - Se escolhesses um livro para ler para o resto da tua vida, qual seria ele?
A Noite e o Riso.

4 - Que livro gostarias de ter lido mas que, por algum motivo, nunca leste?
Começo a achar que este questionário quer saber de mais – eu flirto com imensos livros mas a coisa não tem necessariamente que acontecer com todos (e isso não me preocupa).

5- Que livro leste cuja 'cena final' jamais conseguiste esquecer?
Agora não me ocorre nada. Guardo dos livros uma série de imagens, dispersas, que nunca consigo explicar. Leio como quem vai ao cinema, talvez porque não sou muito esperta. Como dizer? Não decoro frases, não me lembro dos nomes das personagens, nem daqueles momentos cruciais que definem as obras. Fico apenas com uma ideia, uma sensação. É claro que vejo perfeitamente o rosto da Maga e da Zana, é claro que vejo com bastante clareza a sala de refeições d’A Montanha Mágica, é claro que conheço de cor a casa de Orlando, tanto em Inglaterra como no Oriente, mas isto não serve para nada, pois não?

6- Tinhas o hábito de ler quando eras criança? Se lias, qual era o tipo de leitura?
Tinha, sim senhor. Comecei por uma colecção da Disney que tinha cassetes coloridas e uma estante amarela para guardar os livros (detestava, não sei porquê, os Aristogatos), depois passei para a colecção Uma Aventura, também fui doida pelo Triângulo Jota, sobretudo os dois volumes de Guardado no Coração (a Joana, do sexto ano, ficou-me com o segundo volume, depois de deixar de falar comigo), than Agatha Christie (tanto que não me lembro de nada a não ser o do Expresso do Oriente), e a colecção Dois Mundos (com títulos tão curiosos como A Sorrir Também se Vence), senti-me vitoriosa quando li O Mundo de Sofia (porque era uma pita de 11 anos com muita mania), depois entrei numa colecção sobre Budismo que a minha mãe mandava vir do Círculo de Leitores, e também passei pela Rebelo Pinto, pelo Nicholas Sparks e pelo Paulo Coelho e sobrevivi, acreditam? Até ter lido Os Maias e o Ensaio sobre a Cegueira nunca tinha gostado de um livro de leitura obrigatória – odiei o Cavaleiro da Dinamarca, A Inexorável Guerra da Avenida Gago Coutinho, O Velho e o Mar, as Viagens na Minha Terra, o Sermão aos Peixes, tudo, tudo, tudo. Mas depois cresci e tornei-me uma leitora super fofinha, vêem?

7. Qual o livro que achaste chato mas ainda assim leste até ao fim? Porquê?
Ó, I’m a looser, baby, não tenho força de vontade para tanto.

8. Indica alguns dos teus livros preferidos.
Então é assim: é ler o blogue, para trás. Está lá tudo, com excertos e textinhos mais ou menos parolos em que não escondo o meu amor.

9. Que livro estás a ler neste momento?
Alexandra Alpha, do Sr. Cardoso Pires. É um DIY (do it yourself), em jeito de guia espiritual. Para além disso tem uma cena brilhante e comovente com o Ruy Belo de onde não me apetece sair. E este clássico:


10. Indica dez amigos para o Meme Literário:
O que é o Meme?