domingo, 20 de novembro de 2011

teorias circulares

Depois de uma análise cuidadosa, eu e a A concluímos que: a) a grande maioria dos homens não é capaz de terminar uma relação se não tiver uma nova em vista; b) pelo contrário, há um grande número de mulheres que decidem "acabar" com tudo tendo por base um mal estar indefinido a.k.a "não sou feliz"; c) no final das contas, estas mulheres acabam por entrar numa relação com os homens da alínea a). 

Para que o João possa compreender este post:

A relação X é composta por A + B, sendo que A é um homem e B uma mulher.
A relação Y é composta por A' + B', correspondência de géneros idêntica. 

Se A conhecer B' termina a relação X e dá início à relação X'.
Se B acabar com A tem só que esperar que A' a conheça para ter coragem para acabar com B' e começar a relação Y'. 
Se entretanto B' achar que a relação já não a satisfaz poderá acabar com A', que fica livre para B. 

Ora, tendo em conta que há mais mulheres do que homens, é preciso que as solteiras tenham em consideração que, daqui por diante: ou encontram homens comprometidos que já estavam mal há muito tempo ou então encontram solteiros abandonados por mulheres que não conseguem estar mal por muito tempo. 

Vá, dêem-me já emprego na Cosmopolitan.