sábado, 15 de junho de 2013

Até hoje foi sempre futuro


«A questão de quem eu era consumia-me.

Convenci-me de que não chegaria a encontrar a imagem
                                               da pessoa que eu
era: Os segundos passaram. O que em mim subiu à superfície
mergulhou e voltou a desaparecer. E no entanto senti que
o momento da minha primeira investidura
foi o momento em que comecei a representar-me -
o momento em que comecei a viver - gradualmente - segunda a
segundo - ininterruptamente - Oh, mente, que estás tu a fazer! -

queres ficar oculta ou queres ser vista? -

E o vestido - como te assenta bem! - iluminado
pelos olhos dos
outros,

                 a chorar -»

Jorie Graham, excerto de "Notas sobre a realidade do Self", em Materialism, 1993