domingo, 23 de junho de 2013

catarinocêntrica

Emily Brontë, Wuthering Heights

Truffaut, Jules et Jim


«Ora, a verdade é que o amante não pode explicar nada, não sabe explicar nada. Viu centenas de mulheres: deixou talvez passar muitos anos sem experimentar o amor; e um dia, de repente, vê a sua mulher, a única, a Catarina.» 
Kierkegaard, O Banquete