terça-feira, 22 de outubro de 2013

eu também sonho

Esta noite, na confusão das passagens, dei por mim com a cara toda vermelha. Pensei: exagerei no blush. Mas não podia ser isso porque aquele vermelho era demasiado compacto e, para mais, descia pelo pescoço até ao colo. O certo é que comecei a despir-me e o vermelho, que era afinal de napa, cobria-me como o papel de um ovo kinder, à justa. Não foi preciso accionar nenhum motor de busca para que me ocorresse a palavra cólera