quarta-feira, 16 de outubro de 2013

mc2

Que o vosso casamento seja como uma sala muito arejada onde há espaços de luz e de sombra (para que se sentem, juntos ou à vez, em casa e sem distância). Que não se encontrem sempre a um palmo do nariz e que saibam louvar os ângulos, mesmo sem compreendê-los. Que não se conheçam assim tão bem.