terça-feira, 5 de novembro de 2013

e isso é seguro?

Avó 1, depois de receber a minha carta, recomenda-me que me aconselhe com a Avó 2. Avó 1 parece ter desenvolvido uma metodologia assaz subtil: já nem sequer me diz o que pensa (talvez para que fique bem claro o que ela pensa). O problema é que a Avó 2, ao contrário da Avó 1, está por demais habituada às opções dos outros, pelo que concorda no matter what, quer eu diga que vou emigrar para a República Democrática do Congo ou que sigo para o mato em Janeiro próximo para estudar o comportamento dos ouriços. O que é mais engraçado é que, em todo o caso, eu não escrevi a pedir conselhos. Ao que parece, a minha vida é, para a Avó 1, pura necessidade de orientação.