terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

mas talvez eu não aguente cidade nenhuma

aconteceu qualquer coisa, não sei (tou instável como uma cascavel, como uma adolescente) || mood swing, chamou-lhe o jared, a propósito do filho que tem 11 anos || e serviu-me

estou a sentir-me demasiado, é isso » o exercício de rememoração do dia, para adormecer
devia servir para que eu fosse aprendendo a sair de mim » a ganhar distância do que acontece, a afastar-me do eu (talvez os resultados sejam subtis e eu sempre bruta bruta bruta ou talvez as minhas disposições sejam mais verdadeiras que todas as tentativas de harmonizar o caos » talvez eu oscile tanto porque os dias são bambus no deserto)

vivemos no Sahara - ninguém no seu perfeito juízo ia escolher a Europa

hoje pensei que devia ir ao médico para saber porque rendem tão pouco as horas que durmo porque acordo cansada porque estou tão pesada » pensei mas esqueci » fiz yoga » estiquei os braços ao som de palavras que não entendo » corri para casa e para não ouvir mais nada

comi no quarto