terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

rewind

ontem à noite repeti o exercício ao adormecer: rever todo o meu dia de trás para a frente até chegar ao momento em que estava na cama, de manhã. não fiquei ansiosa e fiz alguns progressos, por exemplo, ao invés de ver imagens separadas consegui, de facto, fazê-las retroceder, rebobiná-las. tento minimizar a linguagem enquanto recapitulo o meu dia, evitar pensar por sintagmas "antes disso estava...". distraio-me com pormenores: uma cruz, um quatro, um plano vertical. e depois há todo o espaço mundano, todas as pulsões, todo o tricot das biografias, que apetece espremer.