quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

xviii

Não sei como é que é com as outras pessoas mas a mim há palavras que dão vontade de rir. Acontece-me o mesmo com algumas posturas corporais - parecem-me cómicas. Acho que tem que ver com o contexto em que as coisas surgem, com o estar dentro ou fora delas, com o pertencer-lhes ou o observá-las. Deve ser também por esta razão que ainda não levo a morte a sério - ela nunca me tomou para si, nunca me arrancou flores das mãos.