quinta-feira, 13 de março de 2014

enxaqueca

A única coisa que fixei do livro do Alain de Botton tem que ver com o caso de uma mulher que, ao chegar a um local idílico com o seu não menos idílico amado, caiu à cama com uma enxaqueca brutal. Comigo aconteceu o mesmo: estávamos no Alentejo, na casa do Ruben A., e até tínhamos levado o Caranguejo (para além de vinho tinto, queijinhos, pão, todas essas coisas que, de Inverno, ilustram os amantes) mas a minha cabeça latejava de tal forma que a primeira coisa que fiz foi dormir. Não me interessa provar que há uma relação entre as minhas dores de cabeça e os momentos mais felizes. Mas, se quisesse, podia.