sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

«Qualquer escritor dirá então: louco não posso, são não me atrevo, neurótico sou.»

(r. barthes)