sábado, 9 de janeiro de 2010

Tarde



"O amor e a palavra são crimes sem perdão. E quem pode amar o crime senão o criminoso e, por vezes, devido a um ainda mais apurado talento, ou a uma espécie de acerto no extravio, a sua vítima? O autobiógrafo é a vítima do seu crime.
Mas a única graça concedida ao criminoso é o seu próprio crime."