quarta-feira, 9 de junho de 2010

com cinco letrinhas apenas, anotava a Daniela

"Corvo: Que se trama uma conspiração, Excelência."

e

"Beresford: Limitei-me a completar a sua frase, Reverência. Espero que não tenha ilusões acerca da revolta que se trama! É o tempo, Reverência, o tempo que corre atrás de nós. O velho está sempre a ceder perante o novo e o novo sempre a destruir o velho..."

(Acto I, Felizmente Há Luar!, de Luís de Sttau Monteiro)