terça-feira, 8 de junho de 2010



Dir-te-ei que os meus dias foram os teus dias o teu leito o meu leito
o teu corpo este mar
dir-te-ei que há uma rosa oculta num jardim e que ela é uma e
outra como nós fomos
estas pétalas são os teus olhos fechados
são as ondas por onde sopra o vento e nasce a cor da aurora e o grito
gelado das coisas

Dir-te-ei foi agora
cintilante mortal contado a fogo
e breve
rigoroso


- Mário Cesariny -