sábado, 29 de janeiro de 2011

nós não merecemos nada

Linguagem enquanto vaticínio: «um dia terás aquilo que mereces» (partindo do princípio que, por qualquer razão, eu mereço algo de bom) ou, pelo contrário, «ele não perde por esperar, ainda vai ter o que merece» (que é um castigo, uma punição). Como se isto da vida fosse uma meritocracia.