segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

- Então? Então? Conta!

- Lembras-te daqueles dois versos - respondeu ele numa voz fraca:

Seria muito divertido -
se não fosse tão triste...

- Lembras-te?

- Claro que me lembro.

- Pois esses versos aplicam-se admiravelmente à minha primeira surtida. Mas não! Em primeiro lugar, cheguei à conclusão de que não há nada mais fácil do que representar um papel. Ninguém sonhou em desconfiar de mim. Mas houve uma coisa com que não contava: é preciso ter preparada com antecedência uma história qualquer... para quando nos perguntem: "Donde vens? Que viste cá fazer?" - e não sabemos o que dizer. Mas, por outro lado, isso ainda não é o mais importante. Basta entrar numa taberna, beber um copo de vodka e mentir à vontade.

- E tu... mentiste? - perguntou Marianna.

- Claro, menti... como pude. Em segundo lugar, decididamente toda agente está insatisfeita, mas ninguém se preocupa em saber como curar essa insatisfação! (...).



Solo Virgem, Ivan Turguéniev