sexta-feira, 11 de março de 2011

se não me perguntarem, não digo


e assim se resume a minha pouco interessante vida. quanto melhor estou menos tenho para dizer. é bom porque vos poupo. é mau porque me sinto ausente. é que ainda não consegui decidir o que prefiro: esta paixão muito terna pela vida (que é um bocado pirosa, convenhamos) ou andar por aí aos caídos com uma meia cor-de-rosa rota num joelho. a via do meio parece-me impossível, simplesmente.