segunda-feira, 21 de março de 2011

sofia gomes



e depois sonhei com uma batata que me escorregava continuamente das mãos, e que eu a lavava, para depois voltar a deixá-la cair, não imaginas o horror, e o que sonhei a seguir, cada vez mais improvável: podes tentar enganar-te o dia todo que de noite, darling, acabas sempre afogada.