quarta-feira, 27 de abril de 2011

"Não se pode acreditar na beleza concentrada/ da gramática/ como que cheia de como que"