terça-feira, 19 de abril de 2011

o homem de quarta-feira #39



«A construção da vida passa neste momento muito mais pela força dos factos do que pelas convicções. Concretamente, de factos que quase nunca e em lugar algum chegaram a transformar-se em fundamento de convicções. Em tais circunstâncias, a autêntica actividade literária não pode ter a pretensão de se desenvolver num âmbito estritamente literário - essa é antes a expressão habitual da sua esterilidade. Uma eficácia literária significativa só pode nascer de uma rigorosa alternância entre acção e escrita. Terá de cultivar e aperfeiçoar, no panfleto, na brochura, no antigo jornal, no cartaz, aquelas formas despretensiosas que se ajustam melhor à sua influência sobre comunidades activas do que o ambicioso gesto universal do livro. Só esta linguagem imediata se mostra capaz de responder activamente às solicitações do momento. As opiniões estão para o gigantesco aparelho da vida social como o óleo para as máquinas: ninguém se aproxima de uma turbina e lhe verte óleo para cima. O que se faz é ejectar algumas gotas em rebites e juntas escondidos que têm de se conhecer bem.»

Walter Benjamin, "Imagens de Pensamento", Assírio & Alvim, 2004