terça-feira, 3 de maio de 2011

tenho um caderninho adolescente novo

razão pela qual nem sempre escrevo no blogue com a regularidade desejável.


"Quem esteja minimamente familiarizado com as agruras da composição não precisará que lhe contem a história em todos os seus pormenores; como ele escrevia e achava bom o que escrevera; relia e achava execrável; corrigia e rasgava; cortava; acrescentava; ficava em êxtase; sucumbia ao desespero; passava noites excelentes e péssimas manhãs; agarrava uma ideia e deixava-a fugir; tinha uma nítida visão do seu livro, e a visão desvanecia-se; representava os papéis dos seus personagens enquanto comia; declamava-os enquanto passeava; ora vociferava, ora ria; hesitava entre este e aquele estilo; hoje preferia o heróico e o pomposo, amanhã o raso e simples; agora os vales de Tempe, mais logo os campos do Kent ou da Cornualha; e não conseguia decidir se era o mais divino dos génios se o maior tolo do mundo."

Virginia Woolf, Orlando - uma biografia, BI, trad. Ana Luísa Faria