terça-feira, 4 de junho de 2013

all delighted people

Há muitas coisas de que me envergonho, mas não me envergonho disto. Há frases, discussões, insultos de que me envergonho, mas não me envergonho disto. Há imagens, noites, restos, de que tenho bastante vergonha, mas não, não me envergonho disto. E continuo a ter vergonha de coisas que não faço, de tudo em que não toco, do jeito que não dou, mas não tenho vergonha disto, de carregar com isto, de me sentir parte disto, de tudo em mim estar ligado a isto.